terça-feira, 16 de setembro de 2014

Um novo dia nos chega...


"Cada novo dia é uma grande aventura que nos reserva muitas surpresas porque não sabemos o que irá acontecer, quem iremos encontrar, as notícias que vamos ouvir, boas ou trágicas, alegres ou tristes... e, no fundo, é bom que seja assim. Não poder tudo, mudar os planos, adiar decisões, tudo isso nos coloca na nossa real condição de seres humanos, imperfeitos, frágeis, dependentes. É a vida que caminha pela fé...
Assim também aconteceu com os seguidores de Jesus. Desejosos de ouvi-lo falar, porque ninguém jamais falou como este homem, corriam atrás dEle em todos os lugares, enfrentando dificuldades, calor e distâncias. Nada os fazia desistir. E, Jesus, vendo aquela multidão com fome, cansada, deu-lhes de comer e todos ficaram saciados. Empolgados, querem fazê-lo rei. Jesus então foge. No dia seguinte, a multidão vai à Sinagoga para encontrar Jesus. E, de fato, Ele estava lá.
Jesus vendo aquela multidão, que o procurava por motivo errado começa a dizer: “Vós me procurais porque eu vos saciei com pão. Eu vos darei a minha carne para comer, o meu sangue para beber” (JO 6,1-15). Dizendo isto, todos ficaram escandalizados porque não entendiam o que Jesus estava revelando. “Em verdade, em verdade vos digo, quem não come a minha carne e não bebe o meu sangue não terá a vida em si mesmo”. Então o murmúrio tornou-se mais forte e todos foram abandonando o Mestre, porque diziam que Ele estava louco.
Depois de um grande silêncio, Jesus dirige-se aos Apóstolos e diz: “Vocês também querem ir embora?” Então Pedro, com a impetuosidade de sempre, diz: “Mestre, também nós não compreendemos aquilo que tu dizes, mas indo embora, aonde iremos? Só tu tens palavras que explicam a vida (JO, 6,60-69). É impossível encontrar alguém como tu. Se eu não devo acreditar em ti, eu não posso mais acreditar nos meus olhos, não posso mais acreditar em nada”.
Isso é maravilhoso! E, nós, a quem iremos? A quem buscamos no nosso dia a dia? A quem confiamos nossa vida, nossas decisões, nossas famílias? Nossa experiência de fé já vivida me tornou uma pessoa melhor, mais amadurecida, capaz de ter convicções, de criar raízes profundas, de aprimorar meu jeito de amar, de perdoar, de doar-se? (Ir. Deuceli Kwiatkowski)

A fé nasce de um encontro com Cristo e nesse encontro nasce a certeza: “Sei em quem acreditei!” (2Tm 2,12). Nada no mundo vai me fazer desistir porque “Tudo posso naquele que me fortalece!” (Fl 4,13).


Nenhum comentário:

Postar um comentário