terça-feira, 30 de setembro de 2014

Palavra de Deus ilumina nossa vida.



Nesta vida, todos são chamados a realizar algo que ninguém pode realizar em nosso lugar porque este espaço é meu, é seu, é de cada um. Deus espera que nós entendamos seus desejos de felicidade para nós e que nós compreendamos que viver é uma experiência única e intransferível que depende somente de cada um.

Se não sabemos por onde andar, se nos perdemos nas encruzilhadas da vida, se estamos desiludidos com as pessoas e com nosso próprio jeito de viver, de ser e de agir, tenhamos, ao menos, a humildade de pedir um conselho a Jesus. Francisco de Assis, nosso querido santo da paz e da humildade, descobriu uma verdade que mudou sua vida e nos comunicou assim: “Ler a Sagrada Escritura significa pedir um conselho a Cristo”. Não percamos a oportunidade de conversarmos, em cada dia, com um amigo tão ilustre.

Certamente Ele nos dará suas palavras porque Ele é o caminho que conduz à vida! Ele nos iluminará com suas palavras porque Ele é a verdade que liberta! Ele nos saciará com suas palavras porque Ele é a vida verdadeira que enche nosso coração de paz e nossos dias de serenidade e alegria. E esta alegria ninguém poderá tirar de nós porque vem do próprio Deus.

Bento XVI nos ensina que “A Sagrada Escritura não é algo que pertence ao passado. O Senhor não fala no passado, mas no presente; Ele fala conosco hoje, dá-nos a Luz, mostra-nos o caminho da Vida, concede-nos a comunhão, e, assim, prepara-nos e abre-nos para a Paz”.

Nosso Papa Francisco, atento aos sinais dos tempos e atento à urgência de uma nova evangelização, lança um grande desafio a todos nós: “Vamos ao encontro das pessoas!”

Acolhamos este sério apelo e nos coloquemos em movimento porque muitos podem morrer de sede por nossa culpa. Vamos! Saiamos para a rua! Lembremos... Desconhecer a Palavra de Deus é desconhecer o próprio Cristo”, diz São Jerônimo.
 Fonte: (Ir. Deuceli  Kwiatkowski)

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Todos os dias...


"Todos os dias Deus nos dá um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes. O instante mágico é o momento em que um "sim" ou um "não" pode mudar toda a nossa existência." 


Paz e Bem!



domingo, 28 de setembro de 2014

Bom dia!

Vamos acrescentar à nossa vida, apenas aquilo que nos faz bem à alma e ao coração. '' Maria Helena Ambrósio

sábado, 27 de setembro de 2014

Sempre há uma nova possibilidade...

''Há em cada amanhecer uma nova possibilidade de ser. Por isso, o meu desejo mais sincero para o dia de hoje, é que os nossos olhos não se desviem dos nossos sonhos. Que hoje os bons sentimentos prevaleçam e neutralizem o sabor amargo dessas incompreensões que mofam as delicadezas do mundo... '' Erica Gaião




terça-feira, 23 de setembro de 2014

São Pio de Pietrelcina, rogai por nós


São Pio de Pietrelcina, nasceu no dia 25 de Maio de 1887 em Pietrelcina, na arquidiocese de Benevento, filho de Grazio Forgione e de Maria Giuseppa de Nunzio. Foi baptizado no dia seguinte, recebendo o nome de Francisco. Recebeu o sacramento do Crisma e a Primeira Comunhão, quando tinha 12 anos.
Aos 16 anos, no dia 6 de Janeiro de 1903, entrou no noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, em Morcone, tendo aí vestido o hábito franciscano no dia 22 do mesmo mês, e ficou a chamar-se Frei Pio. Depois da Ordenação Sacerdotal, recebida no dia 10 de Agosto de 1910 em Benevento, precisou de ficar com sua família até 1916, por motivos de saúde. Em Setembro desse ano de 1916, foi mandado para o convento de São Giovanni Rotondo, onde permaneceu até à morte.

Desde a juventude, a sua saúde não foi muito brilhante e, sobretudo nos últimos anos da sua vida, declinou rapidamente. A irmã morte levou-o, preparado e sereno, no dia 23 de Setembro de 1968; tinha ele 81 anos de idade. O seu funeral caracterizou-se por uma afluência absolutamente extraordinária de gente.

Para meditar deixo aqui algumas frases:

“Tudo o que vem de Deus deixa a alma tranquila mesmo diante de aflições e contradições.”

“Não se desanime se você não consegue fazer tudo como gostaria.”

“Em tudo o que você fizer, seja sempre humilde, guardando zelosamente a pureza de seu coração e a pureza de seu corpo.”

“A alma cristã deve fugir dos aplausos dos homens.

“Aspiremos a felicidade que nos foi preparada por Deus.”

“Deus é nosso Pai. O que se pode temer tendo um Pai como este?”

(São Pio de Pietrelcina)

sábado, 20 de setembro de 2014

Regando nossa aimizade


" Existem tantos milagres... Que acontecem no silencio de cada dia... Distantes dos olhares e do entendimento. São carinhos e bençãos de Deus. Que a cada momento; Fazem a doce poesia. Para que nossa vida seja eterna harmonia. E mesmo sem que possamos perceber; A vida se renova, docemente prova cada sentimento, cada bem querer que florescem em nosso coração." (Claudia Salles.)

Encontros com contornos!


 "Ninguém vive sozinho neste mundo. Todos nós precisamos de alguém por mais reduzido que seja o número de pessoas que convivam conosco.

Conviver é estar com as pessoas de uma forma tão bonita porque é a grande possibilidade que temos de amar, crescer, enxergar algo que ainda não tínhamos percebido. O outro me ajuda a ampliar o olhar para o mundo ou, talvez, para o meu pequeno mundo, e o tempo se empenha em ajeitar as descobertas no seu lugar.
Nossos dias têm a graça de serem marcados por muitos encontros. Infelizmente, damo-nos conta de que a maioria deles acontece de forma rápida, superficial, apenas profissional. Na verdade, são encontros sem contornos.
Os afazeres da vida nos atropelam e nós nos atropelamos. Damos muitas desculpas para nossas correrias e para nossa falta de tempo, e chegamos ao final do dia cansados e com a triste sensação de insatisfação por termos feito tudo pela metade, sem atenção e cuidado. Quantas vezes não temos memória do que fizemos pela manhã ou de quem encontramos?
Encontros deveriam ser assim: com contornos! Deveríamos olhar mais para decorar o contorno do rosto, a cor dos olhos, os gestos no ar, a entonação das palavras ou as pausas de silêncio. Deveríamos decorar cada toque para que, um dia, na ausência da vida, podermos tirar do coração as lembranças que a memória amou e guardou para serem recordadas na serenidade e na paz.
Se não prestamos atenção às pessoas que amamos e vivem conosco, perdemos a oportunidade de guardarmos o que de melhor elas têm: o jeito único de ser, de sorrir, de gargalhar, de abraçar, de fazer aquele bolo delicioso, de arrumar a casa, de estar conosco.

Pe. Fábio diz que “pessoas são como livros, precisam ser lidas” e, por que não, decoradas? Não paremos na capa. Há muita riqueza escondida em capas não atraentes”.


terça-feira, 16 de setembro de 2014

Um novo dia nos chega...


"Cada novo dia é uma grande aventura que nos reserva muitas surpresas porque não sabemos o que irá acontecer, quem iremos encontrar, as notícias que vamos ouvir, boas ou trágicas, alegres ou tristes... e, no fundo, é bom que seja assim. Não poder tudo, mudar os planos, adiar decisões, tudo isso nos coloca na nossa real condição de seres humanos, imperfeitos, frágeis, dependentes. É a vida que caminha pela fé...
Assim também aconteceu com os seguidores de Jesus. Desejosos de ouvi-lo falar, porque ninguém jamais falou como este homem, corriam atrás dEle em todos os lugares, enfrentando dificuldades, calor e distâncias. Nada os fazia desistir. E, Jesus, vendo aquela multidão com fome, cansada, deu-lhes de comer e todos ficaram saciados. Empolgados, querem fazê-lo rei. Jesus então foge. No dia seguinte, a multidão vai à Sinagoga para encontrar Jesus. E, de fato, Ele estava lá.
Jesus vendo aquela multidão, que o procurava por motivo errado começa a dizer: “Vós me procurais porque eu vos saciei com pão. Eu vos darei a minha carne para comer, o meu sangue para beber” (JO 6,1-15). Dizendo isto, todos ficaram escandalizados porque não entendiam o que Jesus estava revelando. “Em verdade, em verdade vos digo, quem não come a minha carne e não bebe o meu sangue não terá a vida em si mesmo”. Então o murmúrio tornou-se mais forte e todos foram abandonando o Mestre, porque diziam que Ele estava louco.
Depois de um grande silêncio, Jesus dirige-se aos Apóstolos e diz: “Vocês também querem ir embora?” Então Pedro, com a impetuosidade de sempre, diz: “Mestre, também nós não compreendemos aquilo que tu dizes, mas indo embora, aonde iremos? Só tu tens palavras que explicam a vida (JO, 6,60-69). É impossível encontrar alguém como tu. Se eu não devo acreditar em ti, eu não posso mais acreditar nos meus olhos, não posso mais acreditar em nada”.
Isso é maravilhoso! E, nós, a quem iremos? A quem buscamos no nosso dia a dia? A quem confiamos nossa vida, nossas decisões, nossas famílias? Nossa experiência de fé já vivida me tornou uma pessoa melhor, mais amadurecida, capaz de ter convicções, de criar raízes profundas, de aprimorar meu jeito de amar, de perdoar, de doar-se? (Ir. Deuceli Kwiatkowski)

A fé nasce de um encontro com Cristo e nesse encontro nasce a certeza: “Sei em quem acreditei!” (2Tm 2,12). Nada no mundo vai me fazer desistir porque “Tudo posso naquele que me fortalece!” (Fl 4,13).


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Amigos irmãos... presentes de Deus!



"Bom encontrar amigos nas estradas da vida que são como anjos porque nos apontam o céu, nos ajudam a caminhar, cuidam de nós, alimentam nossa fé, iluminam nossa esperança, nos ensinam a amar de uma forma tão bonita e simples, confiante e sincera.
Felizes de nós se encontrarmos amigos que não guardam só para si os tesouros encontrados, mas que dividem as riquezas desta graça. Felizes de nós se encontrarmos amigos verdadeiros que na caminhada da vida nos sustentam quando nossas forças parecem esmorecer. Felizes de nós se encontrarmos amigos fiéis que nos ajudam a manter acesa a chama da fé para que não andemos como cegos na escuridão, sem saber para onde ir.
Felizes de nós se encontrarmos amigos que, aos poucos, tornam-se tão queridos como irmãos. Amigos na fé, amigos na esperança, amigos no amor, amigos na oração. Esta belíssima oração de Padre Pio, homem de Deus, é um presente que recebi de um grande amigo e agora partilho com você. Que ela nos ajude a entrar em intimidade com o Senhor para aprendermos a escutá-lo com ouvidos de discípulo."

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Paz e Bem!




"Olhar o rio feito de tempo e água,
e recordar que o tempo é outro rio,
saber que nos perdemos como o rio,
e que os rostos passam como a água''. (Jorge Luis Borges)