quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Ser feliz


Ser feliz não é ter um céu sem tempestades
Caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas
Relacionamentos sem decepções.
Ser feliz é encontrar força no perdão
Esperança nas batalhas, segurança no palco do medo
Amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos.
Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz não é uma fatalidade do destino
Mas uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu próprio ser.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si
Mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de você.
É ter maturidade para falar: "Eu Errei".
É ter ousadia para dizer: "Me Perdoe".

É ter sensibilidade para confessar: "Eu Preciso De Você"

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A vida nos ensina...


"A vida me ensinou...
A dizer adeus às pessoas que amo, sem tira-las do meu coração
 Sorrir às pessoas que não gostam de mim
Para mostra-las que sou diferente do que elas pensam
Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade
Para que eu possa acreditar que tudo vai mudar
Calar-me para ouvir
 Aprender com meus erros
Afinal eu posso ser sempre melhor
A lutar contra as injustiças
 Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo
 A ser forte quando os que amo estão com problemas
Ser carinhoso com todos que precisam do meu carinho
 Ouvir a todos que só precisam desabafar
Amar aos que me machucam
Ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos
Perdoar incondicionalmente
 Pois já precisei desse perdão
Amar incondicionalmente
Pois também preciso desse amor
A alegrar a quem precisa
 A pedir perdão
A sonhar acordado
 A acordar para a realidade (sempre que fosse necessário)
 A aproveitar cada instante de felicidade
A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar (tive meus motivos para isso)
Deus me ensinou a ter olhos para "ver e ouvir estrelas"
 Embora nem sempre consiga entendê-las
A ver o encanto do pôr-do-sol
A sentir a dor do adeus e do que se acaba
Sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser
 A abrir minhas janelas para o amor
A não temer o futuro
 Me ensinou e está me ensinando a aproveitar o presente
Como um presente que da vida recebi
E usá-lo como um diamante que eu mesmo
tenha que lapidar Lhe dando forma da maneira que eu escolher." Autor Desconhecido



sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Salve Maria!



Eis aqui a razão de ser do comentário clássico sobre as duas madeiras da Cruz do Senhor: a que está fincada na terra é a verticalidade, que olha na direção do Céu, a Deus. O transverso representa a horizontalidade, a relação com nossos iguais. Também nesta imagem há um primeiro e um segundo. A horizontalidade estaria em nível da terra, se antes não possuíssemos uma haste na vertical e, quando mais queremos elevar o nível dos nossos serviços aos nossos semelhantes —a horizontalidade— mais elevado deve ser nosso amor a Deus. Do contrário, virá facilmente o desânimo, a inconstância, a exigência de compensações quaisquer que elas sejam. Disse S. João da Cruz: «Quanto mais ama uma alma, mais perfeita é naquilo que ama; daqui que essa alma, que já é perfeita, toda ela é amor e, todas suas ações são amor». 

De fato, nos santos que conhecemos vemos como o amor a Deus, que sabem manifestar-lhe de muitas maneiras, lhes outorga uma grande iniciativa no momento de ajudar o próximo. Peçamos hoje à Virgem Santíssima que nos encha de desejo de surpreender ao Nosso Senhor com obras e palavras de afeto. Assim nosso coração será capaz de descobrir como surpreender com algum detalhe simpático aos que vivem e trabalham ao nosso lado e, não somente fazer isso nos dias assinalados, que isso todos sabem como agir. Surpreender!: Forma prática de pensar menos em nós mesmos.                                                       (Rev. D. Pere CALMELL i Turet )

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Web TV Diocese de Jatai-GO - Entrevista Frei Saulo

Cada dia é um recomeço


Podemos achar que tudo que a vida nos oferece amanhã é repetir o que fizemos ontem e hoje. Mas, se prestarmos atenção, vamos reparar que nenhum dia é igual ao outro.
Cada manhã traz uma bênção escondida; uma bênção que só serve para este dia, e que não pode ser guardada ou reaproveitada. Se não usarmos este milagre hoje, ele se perderá.
Este milagre está nos detalhes do quotidiano; é preciso viver cada minuto, porque ali encontramos a saída para as nossas confusões, a alegria de nossos bons momentos, a pista certa para a decisão que precisa ser tomada.
Não podemos deixar nunca que cada dia pareça igual ao anterior – porque todos os dias são diferentes. (Paulo Coelho)
Bom e abençoado dia!

domingo, 17 de agosto de 2014

Parabéns a todos os Religiosos e Religiosas

“A vida consagrada, profundamente arraigada nos exemplos e ensinamentos de Cristo Senhor, é um dom de Deus Pai à sua Igreja, por meio do Espírito.”
Exortação Apóstólica Vita Consecrata do Papa João Paulo II

A vida consagrada diz respeito a toda a Igreja; não é uma realidade isolada e marginal. A vida religiosa está colocada no próprio coração da Igreja. Ela é um elemento decisivo para a sua missão, já que exprime a íntima natureza da vocação cristã e a tensão da Igreja-Esposa para a união com o único Esposo. A vida consagrada faz parte da vida, santidade e missão da Igreja.
A mulher e o homem não foram feitos somente para o casamento, para procriar; eles foram feitos para amar, adorar, servir, louvar a Deus nesta vida e depois no Céu.
A Vida Religiosa é isto aí: é viver o Céu hoje, é antecipar a vida do Céu aqui na terra. A vida religiosa consagrada nos faz experimentar a vida dos anjos, dos santos, a vida daqueles que deixaram tudo e se entregaram ao Amor de Deus.
Ser religiosa ou ser religioso quer dizer estar a serviço de Deus, separados das coisas que são do mundo e que não são do agrado ou do serviço de Deus.

O mundo é bom, é belo, é lindo; mas existe um caminho para usar as coisas do mundo como se não fôssemos deste mundo. E esse caminho é o da vida religiosa.
Papa Francisco nos anima a sermos fecundos na missão, no anúncio, no testemunho do Evangelho. Nosso Senhor Jesus Cristo nos disse: “não tenham medo” (Mt 28,5). Como às mulheres na manhã da Ressurreição, nos é repetido: “Por que buscam entre os mortos aquele que está vivo?” (Lc 24,5). Os sinais da vitória de Cristo Ressuscitado nos estimulam enquanto suplicamos a graça da conversão e mantemos viva a esperança que não defrauda. O que nos define não são as circunstâncias dramáticas da vida, os sofrimentos pelos quais passamos, as incompreensões que muitas vezes são impostas em nossas caminhadas, nem os desafios da sociedade ou as tarefas que devemos empreender, mas todo o amor recebido do Pai, graças a Jesus Cristo, pela unção do Espírito Santo. Esta prioridade fundamental é a que tem presidido todos os nossos trabalhos que oferecemos a Deus, à nossa Igreja, a nosso povo, a cada um dos homens e mulheres a quem somos enviados, enquanto elevamos ao Espírito Santo nossa súplica para que redescubramos a beleza e a alegria de ser cristãos. Aqui está o desafio fundamental que contrapomos: mostrar a capacidade da Igreja de promover e formar discípulos que respondam à vocação recebida e comuniquem em todas as partes, transbordando de gratidão e alegria, o dom do encontro com Jesus Cristo, o Redentor. Não temos outro tesouro a não ser este. Não temos outra felicidade nem outra prioridade que não seja sermos instrumentos do Espírito de Deus na Igreja, para que Jesus Cristo seja encontrado, seguido, amado, adorado, anunciado e comunicado a todos, não obstante todas as dificuldades e resistências.

sábado, 16 de agosto de 2014

"Meus pés procuram partidas, minha alma deseja chegadas..." (Pe. Fábio de Melo).


Os pés representam nossa conexão com o chão, com a terra, com o caminho... o humano está sempre dis-posto no caminho da existência. Ele tem necessidade de ir, de procurar, de romper, de fazer travessias e de transcender... E é no chão da vida que ele vai se per-fazendo, experimentando partidas e chegadas, encontros e desencontros, abraços e despedidas!
A alma deseja sempre encontros, chegadas, abraços, calor... Por ser divina, cria em nós a necessidade da volta a Casa. E essa Casa é o espaço da integração, da festa, da celebração com o Divino. O humano, na sua totalidade corpo-alma, necessita sempre caminhar na direção do eterno, fazendo a experiência fundamental de amar e ser amado, de abrir-se e de recolher, de ser rio e de ser mar...
Frei Paulo Sergio

A vida é uma eterna alegria


"É melhor ser alegre que ser triste
Alegria é a melhor coisa que existe
É assim como a luz no coração.

A vida não é brincadeira, amigo
A vida é arte do encontro
Embora haja tanto desencontro pela vida."






sexta-feira, 15 de agosto de 2014

quinta-feira, 14 de agosto de 2014